sexta-feira, julho 30, 2021

quarta-feira, julho 28, 2021

Eles ficaram na História!

Fotogramas - 27

Otelo Saraiva de Carvalho - (1936 - 2021)

Salgueiro Maia - (1944 - 1992)

O "socialista" e primeiro-ministro António Costa "vetou" um dia de luto nacional ao organizador e comandante das forças que derrubaram a ditadura, terminaram a guerra colonial, devolveram a liberdade, ofereceram a democracia aos políticos, acabaram com a censura e libertaram os presos políticos.

E o "presidente" Marcelo concordou...

Como é triste este Portugal!

Rui Luís Lima

terça-feira, julho 27, 2021

James Branch Cabell - (1879 - 1958)

Fotogramas - 26

"O optimista proclama que vivemos no melhor dos mundos possível, e o pessimista teme que isto seja verdade",

James Branch Cabell

segunda-feira, julho 26, 2021

domingo, julho 25, 2021

Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 - 1 - Covid - 0

Fotogramas - 24

Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 - 1 - Covid - 0

Após o início destes Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 em luta contra esse Vírus chamado Covid, o resultado encontra-se favorável aos Olímpicos, que derrotam o Vírus por uma bola a zero, através de um belo golo marcado logo no dia de abertura dos Jogos.

Rui Luís Lima

Otelo Saraiva de Carvalho - (1936 - 2021)

Fotogramas - 23

Otelo Saraiva de Carvalho nasceu em Lourenço Marques a 31 de agosto de 1936. Foi o estratega do 25 de Abril, em 1974, com apenas 37 anos. Tinha o posto de Major na época e coordenou a partir do Regimento de Transmissões na Pontinha as Forças Militares que iriam instaurar a democracia, derrubar a ditadura e terminar com a guerra colonial.  Antes de partir hoje, dia em que nos deixou, já fazia parte da História de Portugal.

Rui Luís Lima

Richard Wright - "Waves"

FM - 14

Richard Wright
Tema: "Waves"
Álbum: "Wet Dreams"
Ano: 1978

"Wet Dreams" do teclista dos Pink Floyd, Richard Wright (1943 - 2008) é um dos meus álbuns preferidos de rock progressivo e durante esta semana, a caminho da "beach", o tema "waves" acompanhou-me sempre, até que me chamaram a atenção de que estava a cantar. Para evitar que me volte a entusiasmar-me  e o vizinho do lado não goste, aqui deixo o tema "waves" informando que o guitarrista é o Snowy White (Thin Lizzy) e o saxofonista é o Mel Collins (King Crimson) e nas teclas o Richard Wright é acompanhado pelo Larry Steele no baixo e o Reg Isadore na bateria. O álbum tem 5 temas instrumentais e 5 cantados e aquilo é fenomenal, embora só interesse para quem sabe o que foi a música nessa década em que a liberdade criativa navegava por todas as artes.

Rui Luís Lima

sexta-feira, julho 23, 2021

Fernando Pessoa - (1888 - 1933)

Fotogramas - 21

Recordando o poeta Fernando Pessoa, nascido a 13 de Junho de 1833 e que nos deixou a 30 de Novembro de 1935, um dos maiores vultos da Literatura Mundial. cujas derradeiras palavras foram "I know not what tomorrow will bring".

Rui Luís Lima

quinta-feira, julho 22, 2021

quarta-feira, julho 21, 2021

Bic Laranja

 Tabacaria - 14

Bic Laranja
Preço: 3$00 (três escudos)
Ano:1970

As miúdas é que gostavam de as usar, porque ofereciam uma caligrafia mais bonita e feminina e quando víamos algum dos nossos a escrever com elas, só podia ser emprestada! Depois os tempos e a simbologia foram alterados.

Rui Luís Lima

terça-feira, julho 20, 2021

Bic Cristal!

Tabacaria - 13

Bic Cristal
Preço: 2$50 ou 25 tostões se preferirem.
Ano: 1970

Eram as esferográficas mais usadas pela malta, preferíamos sempre a azul, embora os "profes" gostassem mais de nos verem a escrever a preto, para depois corrigirem a vermelho!

Rui Luís Lima

segunda-feira, julho 19, 2021

Fotogramas: Pandemónio Politico!

Fotogramas – 19

Pandemónio Politico!
 
Ando a dormir mal e a sonhar demasiado com fotogramas. Confesso que foi um pesadelo. Vou contar-vos!
 
A Europa assistiu a um novo “Sofá Gate”, a Ursula von der Leyen nem cadeira tinha para se sentar e o Charles Michel no sofá de pernas estendidas. A Chanceler Angela Merkel irritada e de saída do Governo da Europa, convida António Costa para o lugar do belga e é com uma relutância agradável que este aceita a Histórica Missão.
 
O Presidente Marcelo decide convocar eleições, mas primeiro pede uma sondagem e os principais órgãos de informação também. Os resultados são unânimes: o Chega é Governo!
 
O Partido Socialista marca finalmente o Congresso para o dia seguinte e dias depois os candidatos da ala esquerda, da ala direita e da ala “assim-assim”, reclamam Vitória.
 
No PSD, Rui Rio é afastado pelo Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, a propósito de “qualquer coisa”, enquanto no Partido Comunista o camarada Jerónimo de Sousa reforma-se finalmente e jura nunca mais comer carne assada, sendo substituído por um conhecido biólogo, que não entende como o Alentejo conquistou o resto do país.
 
No Bloco de Esquerda dá-se a grande cisão, porque a UDP descobre que a Catarina é actriz e as falas são escritas pelo Louçã e assim o Major decide avançar e regressar à política.
 
Já no CDS após o afastamento de “Francisco Rodrigues” percebe-se que nem de bicicleta se consegue chegar ao Parlamento.
 
O PAN abrevia a sigla e passa a ser o PÁ, passando a andar nas bocas do mundo (o gelado epá fica suspenso durante a futura campanha eleitoral).
 
As famosas deputadas “não inscritas” não se conseguem inscrever em nenhuma força politica e formam um “Partido”.
 
“Os Verdes”, perante o sucesso do Sporting, decidem emancipar-se e nem uma dúzia de votos conquistam nas intenções de voto. A “Iniciativa Liberal” fica “assim-assim” e o “Livre” dá liberdade aos militantes de usar saia.
 
O Horizonte do país está muito nebulado e a Imprensa fala em pandemónio político. O Presidente Marcelo sai de Belém e vai meditar para a Praia de Caxias, recorda-se de Nobre da Costa e dos Governos de Iniciativa Presidencial do General Ramalho Eanes e timidamente o Sol começa a nascer e então decide avançar sem medos, convida o amigo Dr. Marques Mendes para formar Governo, que nesse mesmo dia é nomeado Primeiro-Ministro.

A SIC entra em pânico com a saída do conhecido comentador e perante a anunciada perda de audiências convida o Dr. Alberto João Jardim para substituir o famoso comentador, sendo acordado que caso haja futebol ao domingo, o comentário será emitido à segunda-feira.
 
E quando começo a ouvir o conhecido sotaque madeirense, acordo finalmente do pesadelo, repleto de suores frios e oiço a Paula a perguntar: “dormiste mal amor?”
 
Rui Luís Lima

sábado, julho 17, 2021

Fotogramas: John Cage - 4'33" e o Dr. José Magalhães

FM - 13

John Cage
Tema: 4' 33"
Álbum: John Cage
Ano: 1974

Fotogramas - 17

O tema "4'33" - "for any instrument or combination of instruments", composto por três andamentos, foi escrito pelo compositor John Cage em 1952, surgindo aqui interpretado pela Berliner Philharmoniker dirigida pelo maestro Kirill Petrenko e que dedicamos aos subscritores da "Carta Portuguesa dos Direitos Humanos da Era Digital" e muito em especial ao Dr. José Magalhães, que na III e IV Legislatura representou o Partido Comunista Português, na V Legislatura passou a Deputado Independente e na VI, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIII e XIV Legislaturas representou o Partido Socialista, apresentando um record invejável de permanência como Deputado da Nação (pela tabuada do Ratinho a soma das Legislaturas dá umas dezenas de anos). É por causa deste tipo de longevidade política, que defendo o limite máximo de duas Legislaturas para a "malta da política", para assim se obter uma pluralidade de rostos e de ideias no Parlamento, por uma Democracia sem qualquer tipo de condicionalismo.

PS: Não tenho qualquer interesse na política partidária deste Portugal (que dizem ser membro de pleno direito da União Europeia e da Nato), mas prezo muito a Educação. algo que se perdeu, infelizmente, e sei que o conhecido Planeta Azul não é quadrado, foi confirmado pelo Richard Branson, o homem que levou a bom porto o Tubular Bells!

Rui Luís Lima

sexta-feira, julho 16, 2021

Fotogramas: Uma janela de oportunidade!

Fotogramas - 16

Uma Janela de Oportunidade

Entra em vigor amanhã a "Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital" da autoria do Dr. José Magalhães (o jornalista Carlos Daniel chamou-lhe "pai" da dita cuja) e apresentada por um conjunto de deputados do Partido Socialista, tendo sido aprovada pela Assembleia da República, sem nenhum voto contra, a indiferença da população do Continente e Ilhas, a "bênção" do Sindicato dos Jornalistas, acompanhada do desinteresse da respectiva classe pela mesma e o O.K. de sua Excelência o Presidente da República (antigo jornalista), nascendo assim uma janela de oportunidade para...

Rui Luís Lima

quinta-feira, julho 15, 2021

Colecção Condor

Tabacaria - 12

"Colecção Condor" nº 1
Para adultos, maiores de 20 anos!
Lançado a 01 de Maio de 1951
Periocidade: Mensal
Preço: 2$50
Ano: 1951

O primeiro número da Colecção Condor, surgido a 1 de Maio de 1951, oferece-nos uma aventura de Tomahawk Tom, da autoria de Vítor Péon (desenho) e Edgar Gaygill (argumento). Recorde-se que Edgar Gaygill é um pseudónimo de Roussado Pinto, esse escritor dos "sete instrumentos" amante da banda desenhada e que bem merece não ser esquecido. Já Vítor Péon, um nome incontornável da banda desenhada portuguesa, estava nos seus inícios. Por seu lado a revista Condor irá apresentar, na segunda página antes da banda desenhada, um texto dos editores anunciando os objectivos da Colecção Condor, que iria oferecer em cada número uma história completa de banda desenhada. Já na contra-capa era anunciado para o número seguinte uma aventura do famoso detective Rip Kirby.

Rui Luís Lima

quarta-feira, julho 14, 2021

Youssou N'Dour / Neneh Cherry - "7 Seconds"

FM - 12

Youssou N'Dor / Neneh Cherry
Tema: "7 Seconds"
Álbum: "The Guide (Wommat)
Ano: 1994

Tal & Qual

Tabacaria - 11

"Tal & Qual"
Semanário
Primeiro Director: Joaquim Letria
Nº.1 - 28 de Junho de 1980
Nº. 1383 - 28 de Dezembro de 2006
1ª Série

O "Tal & Qual" regressou às bancas a 9 de Junho de 2021 tendo como director o jornalista Jorge Morais. Hoje fizemos o "Fotograma" do novo "Tal & Qual", que se mantêm fiel ao seu passado.

Rui Luís Lima

Fotogramas: "«Tal & Qual» o regresso!"

Fotogramas - 15

"«Tal & Qual» o regresso!"

A 9 de Junho de 2021 o célebre semanário "Tal & Qual" regressou às bancas, sobre a direcção de Jorge Morais, que em tempos já fora seu responsável máximo e que assim retorna com uma equipa constituída por jornalistas de diversas gerações como refere no seu editorial, mas este jornal nesta sua segunda série tem o condão de vir abanar as águas estagnadas em que caiu o jornalismo português.

Após algumas semanas de leitura do "Tal & Qual" decidimos fazer por aqui o seu fotograma para os leitores mais desatentos e oferecendo algumas dicas deste bom jornalismo que regressa às bancas pelo preço de uma moeda!

A abrir o jornal temos sempre essa saborosa "carta da aleia" assinada pelo director Jorge Morais, depois não pode perder a análise de Agapito Pinto Jr., que lhe faz o retrato de como param as modas no país mais ocidental do continente europeu, mas também não pode perder a crónica dos "Dias de Cão" assinada pelo José Júdice, um regresso que saudamos pois tínhamos imensas saudades dele. Depois, como os aumentos já mexem no seu bolso, convém ler sempre o "Notas & notas" da autoria do Miguel Stock que nos conta como param as "modas" no triângulo Banco de Portugal, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional, nesta época de pandemia a "troika" foi viver para a cave, mas nunca se sabe...

Como muitos estão desejosos de terminar com o papel, seja o da moeda ou o dos livros, por motivos "ecológicos", enfim salvar as florestas, impedindo a leitura, essas coisas... recomendo que não percam a secção de livros "À cabeceira" sempre com títulos que me levam a ir à Biblioteca requisitá-los. E como o país não é só Lisboa e muitos ainda anseiam em ver a capital no Norte, não perca os sempre elucidativos "Bilhetes da Foz" enviados pela Matilde de Gondarém. 

Outro regresso que se saúda neste novo "Tal & Qual" é o de Carlos Cruz, que nos traz o "Sr. Televisão" e confesso que sempre que leio a coluna vou escutando a sua voz e imagem claro, ele é dos três "Zip Zip" (foi assim que o conheci) ao lado do Fialho Gouveia e Raul Solnado e a fechar a minha primeira volta do "Tal & Qual" vem a famosa "Toupeira", que não é outro senão o Joaquim Letria, o primeiro director do Jornal e que não resistiu a dar uma mãozinha a este projecto do "Parem as Máquinas. Edições e Jornalismo, Lda" de José Paulo Fafe.

Depois, chegado aqui, regresso ao início do jornal e leio as outras notícias da redacção do "Tal & Qual", as reportagens dos repórteres, sempre de nos deixar de boca aberta, o que nos safa é a máscara perante o estado a que chegou o mundo lá fora e também cá dentro, enfim são as velocidades contemporâneas dessa coisa chamada vitamina. 

Ah! Não se esqueça, o "Tal & Qual" é um jornal à moda antiga, não é digital, suja as mãos e é essa lufada de ar fresco de que tanto necessitávamos.

Obrigado, caros amigos!

Rui Luís Lima

terça-feira, julho 13, 2021

Robert Fripp - "God Save The King"

FM - 11

Robert Fripp
Tema: "God Save The King"
Álbum: "Network"
Ano: 1985

Fotogramas: "A Jornalista da Burka!"

Fotogramas - 14

A jornalista da Burka apelou no Twitter ao despedimento de uma jovem que faz figuração num programa de televisão, não sei se a senhora jornalista é boa ou má jornalista, porque nunca li nada dela, sou mais de ler livros, agora ando a ler o que Platão escreveu sobre Sócrates, que nem se sabe se existiu. E, para evitar "mal entendidos", sei que Platão viveu na Grécia Antiga (dizem os livros de História e Filosofia) e não é um habitante de Plutão.

Aqui deixo umas boas guitarradas do Robert Fripp, com essa mulher maravilhosa chamada Toyah Wilcox, que ele conheceu um dia no Estúdio e uma semana depois estava a pedi-la em casamento e foi amor eterno.

Nesta época de confinamento eles decidiram dar-nos a conhecer a sua cozinha, com umas canções e umas guitarradas para animar a malta com o "Toyah & Robert's Sunday Lunch" (todos os "sunday" temos um clip no You Tube), não sei se a jornalista da Burka pretende fazer um "twit" a pedir o "despedimento" da Toyah & Robert do You Tube?

Rui Luís Lima

segunda-feira, julho 12, 2021

& etc (Quinzenário Cultural e muito mais!)

Tabacaria - 11

& etc
Quinzenário Cultural nº.1
(17/01/1973)
Preço: 7$50

Num mês em que a "Carta dos Direitos Humanos da Era Digital" se prepara para entrar em vigor no dia 17 de Julho de 2021, recordo aqui a mais fascinante aventura editorial que conheci.

Tudo começou ainda andava eu a colar as tiras dos Peanuts publicadas no Diário de Lisboa, no caderno da instrução primária, sendo o melhor aquele das duas linhas para termos uma letra bonita. Nesse ano de 1965 entre Maio de Novembro de 1965, o regime do Dr. Salazar, que segundo Fernando Pessoa não percebia nada de finanças, o regime planeou o estrangulamento do Jorrnal do Fundão e assim o mesmo foi proibido de ver a luz do dia de Maio a Novembro de 1965.


O jornal reginal incomodava o "Botas" e em 1967 António Pauloro (director do jornal) e Vítor Silva Tavares (editor na Ulisseia) criam um suplemento cultural intitulado "& etc", que irá abanar os alicerces do regime. Porque como alguns ainda se recordam a cultura é um veneno mortal para as ditaduras e um perigoso xarope para as democracias populistas, daí estas últimas promoverem o futebol e a competição de talentos para impedir a cultura de se exprimir, promovendo o "penso logo desisto"!


E assim, entre finais de 1967 até 1971, o Suplemento Cultural do Jornal do Fundão intitulado "& etc" tornou-se o "mal-amado" do regime e na capital começou-se a vender o Jornal do Fundão.
Vítor Silva Tavares, que fizera muitas viagens entre Lisboa e o Fundão em 1973, decide abrir o ano a lançar a "folheca cultural & etc" da qual viriam a sair 25 números quinzenalmente que ao longo do tempo iriam mudar de papel, o inicial era muito fino, com um formato quadrado bem definido e do qual me foi parar às mãos um exemplar numa Feira do Livro.


Seriam 25 os números a ver a luz do dia, deste dito cujo quinzenário cultural, que viria a comprar na totalidade na Livraria Opinião por 200$00, prenda de aniversário da minha avó(1) e rapidamente travei conhecimento com o Hipólito Clemente, que quando saiu o "Coisas", primeiro livro da editora & etc situada no subterrâneo 3 da Rua da Emenda (ali para os lados do "Café dos Filósofos), me guardou um exemplar.


A partir de então e durante longos anos todos os livros do "& etc" do Vítor Silva Tavares (1937 - 2015), com aqueles "hors-text" do Carlos Ferreiro e no formato 15,5 x 17,5 cm, que reproduzia de certa forma as dimensões da "folheca cultural", entraram-me em casa, até chegar esse dia em que para comprar comida tive de os vender, em transações que me custaram imenso (2).



Neste século XXI  já não temos os três famosos FFF - Fado, Futebol, Fátima, porque o Futebol devorou o Fado e Fátima. Não é por acaso que o Terceiro Homem mais poderoso deste país depois do Presidente da República e do Primeiro-Ministro, seja o Presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

Mas regressando à distinta Folheca Cultural e às edições & etc,, triste mesmo é só termos a Biblioteca Nacional e a Casa Fernando Pessoa para lermos os livros (as tiragens eram pequeninas) editados por Vítor Silva Tavares, o editor que abanava o sistema!


(1) - Vi os "& etc" todos nos degraus interiores da Livraria Opinião que davam acesso aos andares de cima e pedi ao Hipólito que mos guardasse, e fui a correr até casa perto de S. Bento e a avó Rosa lá me deu o dinheiro (era a prenda de aniversário, embora só fosse no dia seguinte) e lá regressei eu a correr até à Livraria Opinião, futura editora Cotovia e hoje...

(2) - A Pastelaria Alsaciana e o Café Guanabara foram alguns dos locais, tal como um café pequenino ao lado do Liceu Pedro Nunes.

Rui Luís Lima